ArtRio

Artesania Fotográfica – a construção e a desconstrução da imagem

O Espaço Cultural BNDES inaugura, na terça, 1o de agosto, às 18h, a coletiva "Artesania Fotográfica – a construção e a desconstrução da imagem", sob curadoria da pesquisadora Marcia Mello. A mostra reúne obras de sete fotógrafos brasileiros contemporâneos, que usam processos alternativos de impressão de imagem, como as praticadas a partir de 1839 e até o início do século XX por amadores e profissionais: daguerreotipia, ambrotipia, fotogravura, cianotipia, albumina e calotipo [descrição abaixo].

Para essa exposição, a curadora elegeu trabalhos com temáticas recorrentes ao universo fotográfico: retratos, paisagens, objetos, vegetais. No entanto, os resultados obtidos por Ailton Silva, Cris Bierrenbach, Francisco Moreira da Costa, Mauro Fainguelernt, Ricardo Hantzschel, Roger Sassaki e Tiago Moraes surpreendem com abordagens transgressoras, que fragmentam o espaço e trazem uma visualidade atualizada e contemporânea aos temas clássicos.

A produção de fotografias com técnicas históricas contrasta violentamente com a profusão de imagens geradas hoje por aparelhos celulares e a facilidade de sua difusão pelas redes sociais e outras mídias contemporâneas. A indústria fotográfica, que se iniciou em 1880, padronizou formatos, técnicas, equipamentos e a maneira de fazer fotografia. A estrutura dos materiais ficou limitada a alguns modelos e as técnicas artesanais caíram em desuso.

Pesquisando livros antigos, decifrando fórmulas em manuais técnicos, os fotógrafos dessa mostra adaptam os materiais e as etapas do trabalho para obtenção da imagem única, incomum e intrigante. A exposição inclui ainda equipamentos, instrumental, produtos químicos para trazer ao público um pouco do mundo do laboratório e do estúdio dos fotógrafos. Também estão em exibição alguns exemplares fotográficos históricos para um cotejamento entre a produção atual e a dos séculos anteriores.

A fotógrafa Regina Alvarez [Rio de Janeiro, 1948-2007], pioneira na retomada do uso de técnicas alternativas de produção e impressão de fotografia no Brasil nos anos 1970, é homenageada com apresentação de documentos, anotações pessoais e trabalhos de sua autoria.

A exposição está aberta ao público até 22 de setembro, de segunda a sexta, das 10 às 19h. O Espaço Cultural BNDES fica na Av. Chile, 100 - Centro. Entrada gratuita.

Explicativo das técnicas:

- Daguerreotipia: imagem única, não reproduzível e totalmente inorgânica, produzida em suporte metálico, sem emulsões, apenas através da reação química entre prata, iodo, bromo e mercúrio.

- Ambrotipia: imagem fotográfica positiva sobre placas de vidro. Método antigo, surgiu no início da década de 1850, como alternativa ao daguerreótipo.

- Cianotipia: processo de cópia fotográfica de desenhos, plantas, mapas etc. sobre papel tratado com sais de ferro.

- Albumina: substância extraída da clara de ovo e usada para fixar os sais de prata ao papel. Foi a forma mais popular de impressão fotográfica até o início do século XX.

- Calotipo: papel fino sensibilizado em sais de iodeto, brometo e prata que é exposto ainda úmido na câmera e rapidamente revelado, gerando uma imagem negativa.